Usar o QR code é fácil até para leigo em informática

0
118
Jovem senhora está numa feira noturna e consulta o celular.
Jovem senhora aprendeu a usar o QR code e consulta o aplicativo do celular para confirmar seu registro de pagamento.

Informe Publicitário

Você quer aprender a lidar com os novos recursos tecnológicos, por exemplo, usar o QR code para fazer pagamentos de forma rápida e segura?

Então saiba que ninguém precisa entender de informática para realizar as transações financeiras mais básicas e necessárias do dia a dia.

Quando perceber que isso é mais simples do que usar o cartão, você vai se sentir muito bem por estar por dentro das novas tecnologias do setor financeiro.

Conheça a história da Maria de Lourdes, uma agente comunitária no interior de São Paulo. Há pouco tempo, ela não queria nem ouvir falar desse assunto, mas hoje já sai de casa sem pegar seu tradicional cartão.

Cliente aprendeu a usar o QR code logo na primeira vez

Usar o QR Code para pagar as compras é mais fácil do que aparenta. Basta abrir o aplicativo do celular e apontar a câmera dele para o código indicado pelo funcionário da loja.

Manter-se alinhado às tendências de mercado e oferecer o apoio que as pessoas necessitam para se adaptar às transações financeiras virtuais estão entre os principais objetivos do beOne.

Essa fintech de pagamentos por aproximação está se destacando em Taubaté, no interior de São Paulo, porque investe tanto no crescimento de sua rede credenciada, quanto em soluções a comerciantes e seus respectivos clientes.

Na opinião de João Victor de Arruda Penteado, diretor do beOne, quanto maior for o número de empresários oferecendo o pagamento por meio do QR code, mais rápido os clientes vão se acostumar com tal novidade.

Ela já faz parte do dia a dia de Maria de Lourdes Silva Correa, agente comunitária da Secretaria de Saúde de Taubaté. Ela está tão acostumada a usar o aplicativo do beOne, que nem pega o cartão tradicional quando sai de casa.

Há quatro meses, Maria de Lourdes ainda não havia desbloqueado app, mas mudou de ideia porque notou o crescente número de lojas na vizinhança aceitando essa forma de pagamento.

“Agora, sempre olho no site para ver em quais lugares posso usar o aplicativo”, conta a agente comunitária. O fato de ser leiga em informática não atrapalhou em nada sua transição para o mundo digital.

A primeira vez que fez o pagamento usando o QR code ocorreu quando ela foi ao cabeleireiro. “O rapaz do caixa deu a sugestão e me ensinou a usar o aplicativo”, lembra Maria. “Foi muito fácil, rápido e aprendi logo na primeira vez”, completa.

Hoje em dia, antes de qualquer compra, ela pergunta se a loja aceita o aplicativo do beOne.

Usar o QR code para pagamentos é cada vez mais normal

Moça aponta seu celular para a maquininha de débito e faz o pagamento do seu café.
Cada vez mais pessoas estão escolhendo usar o QR code para fazer pagamento, pois essa é uma operação bem segura.

Maria de Lurdes se adaptou muito bem ao uso do pagamento por aproximação por meio do QR code. Esse tipo de transação financeira é muito fácil e rápido.

Caso você tenha dúvidas sobre como funciona essa alternativa, vale a pena continuar lendo esse texto com o objetivo de acabar com seus principais receios.

Vamos por partes.

O QR code é simplesmente um código impresso em duas dimensões e que pode ser escaneado pela câmera do celular. Não há nenhum mistério nessa tecnologia.

Trata-se de um mecanismo parecido com o código de barras usado para registrar qualquer item passado pelo caixa quando você vai ao mercado, por exemplo.

Se esta alternativa contém certos dados do produto comprado, o QR code é mais completo e possui bem mais informações gravadas em seu desenho.

Elas podem ser transformadas em texto para diversas utilidades. Veja só: é possível captar o QR code tendo em vista acessar sites de seu interesse, garantir promoções e, como a Maria de Lurdes e milhares de pessoas, fazer pagamentos.

O procedimento é exatamente o mesmo feito pela agente comunitária. Basta pegar a câmera do celular – ou abrir o aplicativo de leitura do QR code instalado no smartphone – e apontá-la na direção do código indicado por quem está atendendo no caixa.

Mais uma vantagem dessa escolha está na segurança. Tal alternativa evita pagamento duplicado e não há como roubar ou clonar o aplicativo usado.

No caso de roubo do celular, é só entrar na internet e bloquear o aplicativo para o uso naquele aparelho.

Maria de Lurdes confessa ser leiga em informática, mesmo assim, faz transações financeiras com facilidade e já diz que prefere usar essa forma de pagamento.

A mudança na forma de pagamentos é questão de tempo

Homem escolhe usar o QR code para pagar suas compras.
A facilidade para usar o QR code na hora de pagar qualquer compra fará com que essa tecnologia seja a mais escolhida.

A pandemia de Covid-19 obrigou várias empresas a acelerarem seus processos tecnológicos e, ao mesmo tempo, levou muitas pessoas a aprenderem a se virar com tudo o que diz respeito à informática.

Ninguém escapou desse caos que chegou para mudar diversos hábitos. Até as crianças de todo o país precisaram se acostumar a assistir às aulas virtuais.

Recursos modernos são criados para acabar aos poucos com o que é antigo ou está defasado.

Quem é mais velho se lembra do quanto era comum usar cheque para pagar quase tudo. Hoje em dia, esses talões nem chegam perto de grande parte da população.

O mesmo processo de quase extinção deve ocorrer com aquele cartão de plástico que você deixa na carteira para fazer compra. Duvida? Então veja o quanto está crescendo o número de pagamentos por aproximação.

De acordo com a pesquisa do Panorama Mobile Time/Opinion Box – Comércio móvel no Brasil, feita no meio da quarentena, 35% dos internautas com smartphone já fizeram pagamentos em lojas físicas fotografando o QR code.

Além da praticidade, outra vantagem ao usar os aplicativos é a segurança oferecida aos usuários. Todas as informações armazenadas neles estão criptografadas.

Se em algum período você usou cheque e agora nem ouve falar dele, sabe que a transição para outra forma de pagamento ocorre de forma bastante natural.

Caso esteja entre as pessoas que entraram na vida adulta já portando o cartão de plástico, vai se acostumar com essa novidade tão rápido quanto foi com todas as tecnologias de sua geração.

Usar o QR code para pagamentos traz mais vantagens

Maria de Lourdes está feliz em acompanhar as tendências tecnológicas e vê mais vantagens ao fazer negócios usando ferramentas digitais.

No caso do aplicativo do beOne, a agente comunitária cita o fato de ter disponível todos os meses o limite de R$ 200. “Ele sempre é renovado, assim é mais fácil de administrar”, explica Maria de Lourdes.

Outro benefício está na facilidade de resolver tudo sem precisar ir à agência, pois todas ficam longe da casa de Maria de Lourdes.

O desconto da fatura feito direto na folha de pagamento facilita mais ainda o dia a dia dela, pois não precisa se preocupar em gerar e imprimir boleto.

Para finalizar, ela conta o dia em que foi à loja de calçados e deixou de comprar um sapato porque aquele comércio ainda não aceitava o pagamento com QR code. “O vendedor ficou sem jeito e disse que daria tal sugestão na próxima reunião com a equipe”, detalha.

Um dia, o e-mail também foi novidade, teve seu auge, mas perdeu espaço para os aplicativos de mensagens instantâneas.

O mesmo processo já está acontecendo com as fintechs (incluindo bancos digitais) e seus serviços no ambiente virtual. Aos poucos, essas empresas estão substituindo as instituições financeiras tradicionais.

Se você fizer como a Maria de Lourdes, que já se adaptou aos novos tempos, não vai encontrar dificuldades à medida que o mundo se torna cada vez mais tecnológico.