Mutação do coronavírus eleva o número de contaminados

0
189
Imagem microscópica da mutação do coronavírus.
A mutação do coronavírus já chegou ao Brasil e se espalha de forma muito mais rápida. É preciso redobrar os cuidados.

Informe Publicitário

A mutação do coronavírus é mais contagiosa em comparação ao vírus que se espalhou no início da pandemia. Mesmo assim, ela é menos mortal do que sua primeira linhagem. Essa variação foi descoberta no Reino Unido, disseminada pelo mundo e já chegou ao Brasil. Saiba mais sobre o que está acontecendo.

Cientistas brasileiros já encontraram a mais nova versão do Sars-CoV-2 no país e estão pesquisando para descobrir detalhes sobre as características dela.

De acordo com os pesquisadores das faculdades de Medicina (FMRP) e de Odontologia (FORP) da Universidade de São Paulo (USP), campus de Ribeirão Preto, essa linhagem é reconhecida como B.1.1.7.

A diferença dela, é que sua proteína spike (espinho) interage mais com os receptores que estão na superfície da célula e ao mesmo tempo servem de ligação para o Sars-CoV-2 causar infecção nas pessoas.

Para falar de forma simplificada, o novo coronavírus tem mais força para entrar nas células saudáveis. As pesquisas continuam sendo feitas com o objetivo de saber o máximo sobre ele.

Nunca é demais reforçar a orientação para manter todas as ações preventivas, em relação à Covid-19. O número de contaminados continua crescendo no Brasil e, quanto mais as pessoas tomarem cuidado, menor é a chance de contaminação.

Também é importante informar que os exames realizados por meio dos kits de testes do CEDLAB Laboratórios, continuam detectando todas as variações ocorridas no SARS-CoV-2.

Sendo assim, quem faz os exames pode confiar na eficácia do teste e ficar tranquilo em relação à fidelidade dos resultados apresentados pelo laboratório, pois seus parceiros estão atentos à mutação do coronavírus.