Ficção científica abriu a mente para vida extraterrestre

0
126
Dr. Spock, o clássico extraterrestre da série Jornada nas Estrelas.
Série Jornada nas Estrelas, com Dr. Spock, abordou como seria a vida extraterrestre e ajudou a mostrar outra realidade.

Provas da existência de vida extraterrestre são cada vez mais divulgadas.

Enfim, vários países estão tirando o sigilo dos arquivos que tratam desse assunto.

Você gostaria de saber o que algumas autoridades mundiais dizem sobre o tema?

Então veja não apenas a opinião delas, mas também como os seres vindos de outros planetas podem nos ajudar.

Série de televisão olhou para a vida em outros planetas

A vida extraterrestre passou a ser considerada com mais atenção a partir das séries de ficção científica, pois elas mostraram a possibilidade de outra realidade cada vez mais aceita no mundo inteiro. O futuro chegou e agora novas descobertas tendem a surgir muito rápido.

A série Jornada nas Estrelas começou a ser exibida em 1966 e criou na mente das pessoas a expectativa de como poderia ser a vida em outros planetas.

Quem aí não se lembra do Dr. Spock e do Capitão Kirk, os líderes da Enterprise, espaçonave que cruzava todo o espaço servindo a Frota Estelar?

Ela era uma armada com fins pacíficos e atuava sob o comando da Federação Unida dos Planetas. Sua tripulação era formada por humanos e alienígenas.

O ponto que mais chamava a atenção ali era a ficção científica. Vários aparelhos vistos pela primeira vez nessa série, hoje já fazem parte do dia a dia.

O futuro chegou e você pode ver algumas invenções que foram da tela para a vida real. Uma missão tripulada para Marte está planejada para ocorrer até 2030.

Mesmo com destaque para a ciência, o comportamento da equipe também estava presente em todos os episódios. Havia conflitos durante as decisões.

As iniciativas lógicas e calculistas do extraterrestre Dr. Spock encontravam forte resistência vinda do humano Capitão Kirk.

Ambos eram altruístas e queriam o bem da humanidade, mas com escolhas diferentes. Daí surgiam as divergências, bem como a busca pela melhor solução.

Aliás, o planeta onde nasceu o Dr. Spock foi descoberto por astrônomos da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos. Veja onde fica Vulcano.

Se o ambiente visto na série começa a se afastar da ficção e se aproximar da vida real, por que não esperar que realidades extraterrestres também passem a ser comprovadas a qualquer momento?

Governo dos Estados Unidos divulgou 3 vídeos secretos

Avião militar sobrevoa espaço aéreo americano.
Pilotos da Marinha americana filmaram uma aeronave não identificada que se deslocava numa velocidade ultrassônica.

Os Estados Unidos estão retirando o sigilo de alguns documentos que dizem respeito ao registro de vida extraterrestre no planeta Terra.

Prova disso ocorreu em abril deste ano. O governo norte-americano confirmou serem verdadeiros os três vídeos gravados durante treinamentos da Marinha.

Eles foram realizados em 2004 durante projeto militar cujo objetivo era analisar o aparecimento de óvinis no espaço aéreo do país. As informações são do site CNN Brasil.

Os próprios pilotos das aeronaves captaram as imagens, já divulgadas entre dezembro de 2017 e março de 2018 pelo jornal The New York Times.

Os militares viram objetos voadores sem asas, nem motores. Eles se deslocavam numa velocidade hipersônica e de repente iam para outra direção.

Mesmo assim, o porta-voz da Marinha Joseph Gradisher explicou que evitaria usar o termo Óvini para identificar tais objetos. Eles são definidos apenas como “fenômenos aéreos não identificados”.

O governo dos Estados Unidos reconheceu a veracidade dos vídeos para evitar especulações sobre as imagens.

As revelações vão ser mais frequentes a partir de agora porque o Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, vai divulgar a cada seis meses o que sabe a respeito desse assunto.

O objetivo oficial é descobrir se existe algum país com tecnologia aeronáutica inovadora a ponto de colocar em risco os Estados Unidos.

Novidades devem vir por aí.

A França e o Reino Unido já liberaram seus arquivos sobre óvinis e com o passar do tempo as evidências de vida extraterrestre serão maiores.

Em breve, não será questão de acreditar ou não na existência dela, mas de aceitar que o universo é repleto de vida inteligente.

Vaticano já assume a existência de vida extraterrestre

Imagem frontal do Vaticano, que já aceita a existência de vida extraterrestre.
Vaticano reconheceu que a vida extraterrestre é uma realidade muito provável e certamente pode falar sobre o tema.

A Igreja Católica sempre se manifestou sobre os assuntos do Céu e da Terra, mas até há pouco tempo nunca havia dito nada a respeito da vida extraterrestre.

Isso começou a mudar em 2008. Na época, o Vaticano reconheceu que o universo é grande demais para existir vida inteligente apenas em nosso planeta.

Nas palavras do diretor do observatório astronômico do Vaticano, padre José Gabriel Funes, Deus pode ter criado seres inteligentes em outros planetas, assim como criou o universo e os homens.

Naquela ocasião, ele deu tal declaração à imprensa e ainda completou o raciocínio citando uma afirmação feita pelo Papa Francisco, dizendo que possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos.

O avanço da Igreja em relação ao tema continuou com passos firmes rumo à transparência.

Em março deste ano, pela primeira vez na história, o Vaticano permitiu que pesquisadores de vários países tivessem acesso às informações do seu acervo cultural. A consulta pode ser feita em relação ao que foi produzido a partir de dezembro de 1958.

A biblioteca do Vaticano é famosa tanto pelo conteúdo, quanto por sua extensão. Lá existem 150 mil documentos organizados em 84 quilômetros de prateleiras.

Ela está sendo digitalizada há alguns anos e quem tiver interesse pode fazer consultas online.

O Vaticano, como ocorre em vários países, certamente possui documentos sobre vida extraterrestre. Divulgá-los para o grande público é outra história.

Nem se sabe se os pesquisadores têm acesso a esse material.

De qualquer forma, um pouco do que a Igreja conhece sobre a história do mundo é dividido com quem não faz parte do Vaticano.

Tomara que alguém encontre ali informações sobre vidas fora do planeta Terra.

Vida extraterrestre pode, claro, ser avançada moralmente

Ninguém duvida de que seres de outros planetas que chegam à Terra são tecnologicamente mais evoluídos que os habitantes daqui. Afinal, são eles quem cruzam o universo, certo?

As séries de televisão e o cinema imaginaram a maioria dos extraterrestres voltada para o mal e querendo dominar o planeta.

Apesar disso, filmes como “Cocoon” e “Inimigo Meu” mostraram exatamente o contrário. Quem ainda não os viu, vale a pena conferir.

Exemplo semelhante (e engraçado) está na trilogia “Homens de Preto”. Ela mostra que a vida extraterrestre é bem diversificada tanto na forma de suas “raças”, quanto em relação às respectivas intenções.

Mas por que as pessoas tendem a acreditar na existência de alienígenas maus e desconfiar que há extraterrestres bons?

Se muitos deles desenvolveram tecnologia avançada, por exemplo, na área de transporte, podem também ter ido bem longe quando se fala em cura de doenças.

Astrônomos já descobriram a existência de uma estrela gigante, 30 vezes maior que o Sol. De acordo com a Nasa, o nome dela é Arcturo e está localizada a 33 anos-luz do nosso sistema solar. Veja mais informações a respeito dela.

Ufólogos acreditam que os Arcturianos são muito evoluídos nos aspectos moral, intelectual e espiritual. O interesse deles é ajudar na evolução da Terra.

Esse apoio é dado, inclusive, por intermédio do trabalho realizado pelos terapeutas holísticos. Eles são o elo para curar a humanidade, emocional e fisicamente.

Várias tecnologias vistas pela primeira vez na série Jornada nas Estrelas tornaram-se reais. É óbvio que naquela época elas já eram estudadas pelos cientistas.

Mas não chegou a hora de abrir a mente para analisar o que é dito sobre seres de outros planetas que vêm até aqui nos ajudar?

Até agora, pela condição geral do planeta, não mostramos capacidade de avançar sem um empurrãozinho.

 

Crédito:

Foto do Dr. Spock: Site da Rede CBS de Televisão.