Constelação Familiar busca respostas nos ancestrais

0
289
Constelação Famíliar ajuda a manter todos bem.
A Constelação Familiar acessa sentimentos do passado e também reequilibra a ordem hierárquica existente no sistema.

Informe Publicitário

Quem passa por uma dinâmica de Constelação Familiar tem a chance única de descobrir como as gerações mais antigas enfrentaram os desafios de sua época.

Cada tempo tem sua dose de dificuldade e, claro, de cicatrizes que deixa nas pessoas.

Você pode ver de perto como seus pais, avós e bisavós reagiram diante dos maiores problemas que surgiram na vida deles.

E algumas dessas formas de agir, para o bem ou não, podem ter sido transmitidas para você. Aí talvez esteja a causa dos seus problemas atuais.

Descubra, a partir de agora, como começar resolver àquelas questões que até hoje não encontrou solução.

Origem dos problemas pode estar nos antepassados

A Constelação Familiar é uma dinâmica que revive a história de sua família, com o objetivo de encontrar a origem dos problemas que você enfrenta hoje. Ela gera harmonia e resgata a importante ordem hierárquica existente entre as gerações.

Você sabia que pode começar a resolver, enfim, vários problemas ao descobrir fatos ocorridos na história da sua família?

É verdade. E o objetivo dessa forma de terapia está longe de ser uma forma de remexer no passado de entes queridos.

A constelação, certamente, é uma ferramenta de ajuda psicológica que leva a pessoa a olhar para a própria estrutura familiar e descobrir por que há tanta provação em certas áreas da vida.

Essas dificuldades muitas vezes têm origem no que aconteceu com seus país, avós, bisavós e demais gerações.

Imagine, então, por quais situações seus ancestrais tiveram de passar séculos atrás. A vida era bem mais difícil e ainda havia agravantes como:

  • Crises
  • Guerras
  • Pandemias
  • Revoluções.

Quais marcas ficam na alma de quem precisa tomar difíceis decisões em momentos de extrema dificuldade?

A Constelação Familiar descobriu que os sentimentos e as atitudes tomadas antigamente por familiares continuam repercutindo até hoje na vida das pessoas.

É importante saber que tal fato não tem nada a ver com qualquer relação de castigo a ser pago no presente, por causa de algo feito por terceiros no passado.

Segundo o teólogo e filósofo Bert Hellinger, criador da Constelação Familiar, aquilo que não ficou emocionalmente resolvido, pode ser transmitido às gerações seguintes.

É por isso que certos padrões de comportamento e situações se repetem gerando conflitos e demais dificuldades que se estendem por muito tempo.

O seu modo de agir hoje pode ter sido herança de família

Homem em dúvida procura resposta na Constelação Familiar.
Muitos comportamentos são explicados a partir da Constelação Familiar, pois ela mostra a reação do grupo aos desafios.

O biólogo inglês Rupert Sheldarke criou a teoria dos campos morfogenéticos.

Ela explica como as informações passam de uma pessoa para outra, sem que qualquer conhecimento tenha sido transmitido.

Vamos lá, preste atenção nesse trecho.

Cada campo pertence a certa espécie e ele possui um tipo de memória coletiva. Tais “arquivos” são atualizados pela experiência individual de quem é da mesma espécie e torna-se, dessa forma, mais rico em informações.

É o próprio Bert Hellinger quem explica esse conceito em seu livro Constelações Familiares, da Editora Cultrix. Veja o trecho da obra.

“Uma variedade de pássaros chamada chapin descobriu o leite como alimento. As aves arrancavam a tampa com o bico e tomavam o leite até onde o bico alcançava.

Com o decorrer dos anos, os chapins de outras localidades começaram a tomar leite dessa maneira. Durante a guerra, houve escassez de leite. Entretanto, os chapins do pós-guerra que não poderiam ter aprendido isso com seus ascendentes, recomeçaram imediatamente a tomar leite dessa maneira”.

Com esse exemplo, Sheldarke chamou a atenção para o fato de que as habilidades também são herdadas por meio do campo morfogenético.

É assim que as experiências dos antepassados ficam gravadas nas gerações seguintes. A herança está longe de ser apenas biológica. Outros aspectos são transmitidos de forma bem mais sutil.

Por isso, certos comportamentos se repetem de geração a geração. Formas de agir que tiveram origem no sentimento de medo, culpa e trauma, por exemplo, já podem fazer parte da conduta de alguns indivíduos desde o nascimento deles.

E a Constelação Familiar pode não apenas acessar tais informações, mas também tratar o aspecto emocional do que ocorreu no passado e deixou tantas marcas.

Qualquer questão é analisada pela Constelação Familiar

Homem está na entrada de um labirinto, que representa suas dúvidas e a Constelação Familiar pode ajudar nesse sentido.
As respostas para muitas dúvidas podem estar nos fatos do passado e a Constelação Familiar segue por essa direção.

A Constelação Familiar não tem vínculo com nenhuma religião. Ela resgata a história familiar por meio de quem participa das dinâmicas e acessa informações do passado.

Com atenção, você vai entender como ocorre todo o processo de libertação.

A pessoa que passa por esse tipo de terapia, conta, com antecedência, qual é o problema que deseja resolver. Apenas a consteladora fica sabendo sobre o assunto. Veja os exemplos de algumas áreas:

  • Familiar
  • Saúde
  • Amorosa
  • Financeira
  • Profissional
  • Processo judicial
  • Problemas empresariais.

Todas as questões podem ser trabalhadas porque não há limite para essa ferramenta de auxílio psicológico.

A Constelação Familiar transcorre como se fosse uma peça de teatro. O cliente e a terapeuta ficam fora da cena e observam o desenrolar da história.

Na hora agendada, quem vai participar da dinâmica já está no ambiente reservado. Essas pessoas representarão os personagens indicados pelo cliente.

Chega o momento de distribuir os papéis.

A princípio, suponha que o tema tratado seja relacionamento familiar. O cliente pensa, por exemplo, no próprio pai e procura alguém que possa representá-lo.

Ela convida tal integrante para participar, porém, o informa apenas mentalmente quem é o familiar. Se o convite for aceito, o cliente vai procurar mais uma pessoa para representar outro familiar.

Pode ser a mãe, os irmãos, os avós e assim segue até completar o número necessário de personagens.

Lembre-se de que apenas o cliente e a terapeuta sabem quem representa cada papel e o problema a ser observado. Esse estilo de trabalho é chamado de oculto. Ninguém é informado de nada.

Os representantes são colocados nos lugares escolhidos pelo cliente e a dinâmica começa com as pessoas dizendo o que estão sentindo.

Constelação Familiar sempre traz muitas emoções à tona

A dinâmica da Constelação Familiar tem como base explorar o que os participantes estão sentindo.

Tal sensação vem dos personagens representados pelas pessoas naquela hora. Quem está, por exemplo, com o papel do pai do cliente, passa a sentir o que o patriarca sente. Isso ocorre mesmo sem que a pessoa imagine quem esteja representando.

As emoções são captadas porque o grupo está sob o campo morfogenético do sistema familiar de quem está sendo atendido.

Você se lembra da explicação sobre esse campo, em relação aos pássaros na Inglaterra, já apresentada acima?

O grupo se conecta ao campo familiar e passa a ter os mesmos sentimentos que seus integrantes. Toda a dinâmica é feita de forma lúcida e consciente.

Dessa forma, no início da atividade, as pessoas começam a descrever tudo o que sentem em relação aos outros participantes. E aí vem à tona as mais diferentes sensações.

Raiva de uma pessoa e carinho por outra. Medo de certo participante e desprezo por outro. E assim por diante.

À medida que o “teatro” vai se desenrolando, é possível enxergar quais são os tipos e níveis de relação que se apresentam. Com os sentimentos sendo não apenas revelados, mas também tratados tão logo sejam reconhecidos, a terapeuta promove o reequilíbrio das relações daquela família.

Bert Hellinger enfatiza que tal processo promove mudanças psicológicas e, também, curas de desequilíbrios vindas a partir da compreensão das emoções.

A terapeuta quântica Pätrícia Beni já dirigiu dezenas de constelações. Na opinião dela, quando existe desordem nas forças de amor que regem as famílias, isso se manifesta na forma de sofrimento e até de doenças.

Após a constelação, tanto as emoções, quanto as relações, são reorganizadas segundo uma hierarquia familiar, e o fluxo de energias volta a fluir para o bem de todos daquela família.

Atendimento feito com os bonecos é bastante eficiente

Constelação Familiar também pode ser fita com ouso de bonecos.
A Constelação Familiar pode ser feita a distância e com participação apenas da terapeuta e do cliente durante a sessão.

Algumas pessoas não se sentem à vontade para participar de sessões em grupo. Nesse caso, é possível realizar a constelação com o uso de pequenos bonecos.

Cada um deles representa certo membro da família. Nesse caso, é o próprio constelando quem capta e descreve os sentimentos que vêm do campo.

Tal método de trabalho também é bastante usado, inclusive, porque o cliente não precisa ir aonde a terapeuta atende.

De acordo com a terapeuta, toda a dinâmica ocorre por meio da internet e só essas duas pessoas participam dela.

Nesses tempos de quarentena, é mais uma forma de passar pela sessão, sem sair de casa.

Mesmo antes da chegada da pandemia, Pätrícia já realizava mais de 90% de seus atendimentos a distância. Ela garante: os resultados obtidos são ótimos.