Black Friday será diferente e com forte venda online

0
299
Empresária está em sua loja de roupas, preparada para atender na Black Friday.
Durante a Black Friday, comerciantes devem estar preparados para organizar o fluxo de clientes circulando pela loja.

Informe Publicitário

A primeira Black Friday com a pandemia de Covid-19 pode ter algumas mudanças e vai ficar em vantagem quem se preparar para as vendas online.

O medo da aglomeração é real, mesmo assim, há como deixar os clientes circularem dentro da loja de forma controlada e conseguir lucrar com essa data.

Mais do que nunca, usar as redes sociais será uma estratégia obrigatória para fazer a diferença e superar grande parte das dificuldades do dia a dia.

Veja o que esperar para as vendas deste ano, onde estão as oportunidades e o que você pode fazer para aproveitar a melhor chance comercial do ano.

Adaptação e informatização vão ditar o ritmo das vendas

A Black Friday é a segunda data que mais gera vendas no ano, perdendo só para o Natal, e seu potencial deixa os comerciantes tão ansiosos quanto os consumidores. Todo mundo quer fazer bons negócios, ainda mais em época de pandemia. Por causa dela, as vendas online tendem a bater recordes.

Os números referentes a 2019 são claros quando revelam a força do e-commerce. Segundo a Ebit-Nielsen, empresa especializada em pesquisa e análise de dados do ambiente virtual, o faturamento da venda online na Black Friday do ano passado chegou a R$ 3,2 bilhões em todo o Brasil.

Quem analisa o mercado aposta no crescimento dessa cifra por dois motivos: o medo de aglomeração nas lojas levará os clientes fazerem compras a distância, é o primeiro. O segundo, tem relação direta com o quanto as pessoas aprenderam a usar o computador ou o celular para adquirir produtos e serviços.

Mais uma novidade também tem a ver com os cuidados em relação à Covid-19. Em vez de concentrar as promoções em um único dia, as lojas podem oferecê-las ao longo da semana. A ideia resolve dois problemas ao mesmo tempo. Estende ao máximo o período de vendas em alta e reduz o risco de transmissão.

Aí está a primeira dica para quem quer se dar bem com as vendas presenciais na Black Friday. Fazer uma promoção por dia da semana, com o objetivo de diluir o número de pessoas circulando no mesmo ambiente, sem reduzir a quantidade de dinheiro que pode entrar no caixa durante esse período tão especial.

Se ele já é uma preparação para o Natal, deve ser aproveitado da melhor forma possível. Veja quais providências podem ser tomadas para não apenas deixar tudo pronto quando chegar esse momento, mas também elevar ao máximo o faturamento.

Black Friday tende a ser um sucesso no ambiente virtual

Miniatura de carrinho de compras está sobre o teclado do laptop.
As compras online serão o destaque de vendas durante essa Black Friday, que já está diferente por causa da pandemia.

De que adianta alguém saber que o mar está ótimo para a pescaria, mas não tem vara, nem rede para pegar os peixes?

Essa pessoa passará o dia vendo os outros aproveitando as oportunidades e não vai poder fazer nada, enquanto não se preparar com o mínimo necessário.

A mesma situação acontece com a Black Friday. Para encher o barco, ou melhor, o caixa, o primeiro passo é ter as ferramentas básicas para realizar as vendas.

O período de quarentena mostrou o quanto é importante ter um site. Mas criá-lo só para dizer que há algo virtual e deixá-lo abandonado, não quer dizer nada.

Hoje em dia, as pessoas navegam pela internet usando o computador, o tablet e o smartphone, e o sites devem estar adaptados para serem vistos nesses equipamentos. O Google até verifica se seu site está preparado para os dispositivos móveis. É só clicar aqui para descobrir.

Para se dar bem na Black Friday, é necessário estar com o site em ordem. Isso do ponto de vista visual, para que as informações sejam claras e facilmente encontradas, mas também no aspecto de sua estrutura para suportar a visita de vários clientes comprando ao mesmo tempo.

Centenas de pessoas fazem reclamações durante esse período e com certeza você não quer estar nessa lista negra. Então, só para garantir, entre em contato com seu fornecedor para ver o que pode ser feito. A ideia é proporcionar uma boa experiência para o cliente e, assim, gerar vendas.

Providencie uma ferramenta de qualidade, pois essa iniciativa é apenas o começo da preparação para conseguir aproveitar as chances que vão surgir.

As estratégias nas redes sociais vão mobilizar a atenção

Jovem está teclando o celular para navegar nas redes sociais.
As redes sociais fazem parte de uma importante estratégia para chamar a atenção dos clientes durante a Black Friday.

As redes sociais estão cada vez mais fortes e quando são bem trabalhadas podem trazer lucro para a empresa.

O mercado já sabe que muitas decisões de compras são baseadas no que as pessoas veem nas redes sociais.

Baseado nessa realidade, estreite o contato não apenas com seu público-alvo, mas também com os clientes.

Chame a atenção deles com postagens todos os dias mostrando promoções ainda mais especiais, até imperdíveis.

Vale a pena apostar nos stories do Instagram, tendo em vista mostrar os bastidores da loja e certas novidades. Vídeos ao vivo também funcionam bem.

Essas ações você pode fazer por conta própria e sem gastar nada. Ao mesmo tempo, se também quiser investir, isso é muito interessante.

Campanhas realizadas tanto no Facebook Ads, quanto no Google Adwords, chegam a milhares de pessoas que têm interesse no produto vendido.

Quanto mais atrativos forem os anúncios, mais fácil será levar as pessoas para o ambiente virtual da loja. Veja alguns exemplos do que eles podem ter:

  • Cupons
  • Brindes
  • Vantagens extras
  • Condições especiais
  • Programa de fidelização.

Chame a atenção para a urgência das promoções. Avise nas redes sociais que os itens estão acabando ou que a oferta dura poucas horas. Mas cumpra o combinado porque, do contrário, a loja perde credibilidade. Crie uma proposta irrecusável. e faça uma campanha relâmpago.

A ideia é levar o cliente a decidir rápido e essa estratégia pode atrair muita gente.

Veja a partir de agora o que deve ser feito para não deixar ninguém de mãos abanando e transformar esse tão esperado dia num pesadelo.

Black Friday exige precaução ao que é básico no dia a dia

Tanto para as vendas presenciais, quanto para as feitas online, é primordial estar atento ao estoque. Parece uma dica óbvia. Mesmo assim, muita gente se dá mal quando acha que sabe tudo e diminui o impacto que pode ter uma invasão à loja.

É possível ter uma noção da procura ao analisar o que foi feito na Black Friday dos anos anteriores. Tal comparação é um bom ponto de partida para iniciar o planejamento.

Por ser inviável oferecer descontos elevados para todos os produtos, escolha apenas três ou quatro que chamem a atenção e lucre nos itens com preço normal.

Nessas ocasiões, é ainda mais importante ficar de olho na qualidade do atendimento. As pessoas querem atenção e um mal-entendido pode trazer problemas.

Se você tem uma loja física, é interessante considerar a ideia de chamar vendedores trabalhar apenas nessa ocasião. Muitas lojas já fazem contratações temporárias por causa do Natal e a estratégia funciona há muitos anos.

Outro ponto importante.

Ofereça várias formas de pagamento para o cliente escolher àquela que preferir. O QR Code está sendo cada vez mais usado não apenas por sua facilidade, mas também devido à segurança de suas operações financeiras.

Uma novidade do beOne nesse sentido é o parcelamento no aplicativo. Até quem não tem cartão de crédito pode dividir o valor total da compra e pagá-la aos poucos, usando essa ferramenta financeira.

O objetivo da Black Friday é fazer com que o cliente chegue até a loja e saia gostando da compra que fez. Mas não é só esse. Ele também deve ir embora satisfeito com toda a experiência que teve ali. Assim, aumentam as chances de ele voltar.

Faça com que o esforço para elevar as vendas numa das datas mais importantes do ano para o comércio, gere frutos por vários meses.